Nogales

Tenho aqui uma história, alegre e triste ao mesmo tempo…

Aconteceu recentemente, numa fazenda que há alguns anos vem nos dando a oportunidade de mostrar como a homeopatia pode transformar a agropecuária.

Esta fazenda engorda atualmente 25 mil bois; em 2012 iniciou um projeto para criação de bezerros e concluirá em 2013 as instalações para confinar 50 mil bois; cria-se ai também ovinos Santa Inês e estamos introduzindo o Dorper. Nesta propriedade raramente se usa medicação convencional. Todos os problemas são contornados com medicação homeopática/antroposófica que gera baixíssimo nível de estresse facilitando muito o manejo da criação, reduz substancialmente o custo de produção e propicia imensurável ganho ambiental .

Bem, para manejar todos estes animais é preciso ter tropa boa e com este intuito, a fazenda comprou um garanhão QM, que veio a falecer dias atrás.

Assim, pedi para o Fernando, responsável pelo animal, descrever em poucas palavras a historia do Nogales, desde quando ele veio pra fazenda:

HISTÓRIA

“Boa tarde Dr.
Vou escrever aqui mais ou menos a historia do Nogales.

Ele foi adquirido de um criador muito tradicional em SP inclusive um dos fundadores da ABQM, Sr. Henrique Rezende Barboza. Em 2009 fui pra SP com a intenção de comprar um garanhão para a fazenda Monte Fusco e através de uns contatos fiquei sabendo de um animal que seria um irmão próprio do Nogales mas um ano mais novo.

Gostei muito do animal, principalmente quando montei, mas era um animal muito jovem e o Sr. Henrique disse que teria um outro animal um pouco mais adiantado na doma que seria o Nogales. Assim que o vi me encantei pois era um animal diferenciado, e foi o que ele provou ao longo do tempo, com apenas 60 dias chegado de SP e ainda com pouco treinamento fez sua primeira apresentação em uma competição de três tambores e foi o campeão.

A partir daí foi se mostrando cada vez melhor ,baixando tempo nas pistas, mas até que com algum tempo foi se tornando um cavalo muito ansioso, agitado e difícil de lidar. Ai foi quando fiquei sabendo do trabalho do Dr. Roberto Mangieri e começamos a usar a homeopatia nele e o resultado logo apareceu.

Seu comportamento foi mudando. Aos poucos se tornando um animal mais tranquilo e os resultados nas pistas voltaram a aparecer.

Mas com a ganância de vitorias e melhores resultados comecei a usar rações e suplementos vitamínicos em grande quantidade acreditando estar fazendo bem para o animal, foi ai que novamente apareceram os problemas, ele foi ficando agressivo e muito mais agitado principalmente nas competições onde seu rendimento caiu.

Foi ai que novamente procurando o Dr. Roberto diagnosticamos uma gastrite onde dava um grande desconforto ao cavalo e por isso a agitação e a agressividade, o Dr. mandou de inicio tirar toda a ração e suplemento e servir só volumoso à vontade enquanto ele formulava um medicamento.

O Nogales ficou 30 dias sem ração e depois daí começamos a servir de novo mas em uma quantidade mínima onde foi aumentando gradativamente conforme o passar das semanas até chegar em uma quantidade que seria a metade do que ele consumia antes, e usando sempre a homeopatia foi quando depois de 90 dias de tratamento voltou as pistas com uma calma, uma concentração nunca vista nele antes e os resultados melhorando dia a dia prova a prova, sendo ele o primeiro e único cavalo a correr na casa dos 17 segundos nas pesadas pistas do MT enquanto os concorrentes sempre na casa dos 18, mas pra nossa tristeza por causa desconhecida Nogales faleceu no ultimo dia 23/11/2012.”

Desta forma perdemos um craque que apresentou seus melhores resultados quando passamos a respeitar mais sua fisiologia, oferecendo-lhe pouquíssimo concentrado e melhorando tanto quanto possível a qualidade do verde (capim e leguminosas) para sua nutrição. Isto fez com que ele, inclusive, se comportasse mais serenamente, sem desnecessário gasto de energia fora de hora.

Será que não estamos fazendo o mesmo com os animais?

levados pela “ganancia de vitória e melhores resultados “ como disse o Fernando em sua carta sobre o Nogales?

Será que aos poucos não estamos minando a saúde deles para vê-los mais gordos e bonitos ?

Gordo é bonito? É saudável?

Qual de nós quer ficar gordo para estar bonito ou para render mais no trabalho? Ou apenas para se sentir bem?
Sugiro aos aficcionados pelos eqüídeos (e outros animais), que façam uma breve reflexão.....Quem sabe para o ano novo não iniciamos um novo tempo , uma nova postura na relação com nossos animais.

Pensem nisso!