Prevenção e Controle Homeopático de Parasitas

Roberto Mangiéri Junior
Médico Veterinário, MSc., PhD.
cel.: (11) 9723.5903

Um dos grandes sucessos da terapia homeopatica é o controle de parasitas.

Estamos falando dos ectoparasitas e dos endoparasitas. Como representantes dos ectoparasitas podemos citar alguns:  bernes / moscas / carrapatos / pulgas / sarnas, etc. Os endoparasitas são os parasitas intestinais  e aqueles que a partir do intestino migram para os outros orgãos e tecidos  do organismo animal e/ou humano,  como a cisticercose (ingestão acidental de Taenia solium) que tem tropismo pelo Sistema Nervoso, o parascaris equorum nos equideos , entre outros.

Clínica Veterinária

Nos equideos o que VEMOS ( a olho nú) com mais frequencia são os carrapatos como representantes dos ectoparasitas já que as moscas pouco desfrutam do sangue destes quando comparamos com outras espécis como os ruminantes por exemplo. Os cavalos e muares tem os musculos subcutaneos que conseguem fazer a pele tremer e espantar as moscas não dando chance para que elas coloquem seus ovos em sua pele , e assim, evitam que se desenvolvam os populares bernes e bicheiras ( ambos larvas de moscas).

Dentros os endoparasitas,  os helmintos  são os mais observados nas fezes dos animais quando a infestação é muito grande – as populares minhocas brancas que são expelidas aos montes conferindo às feze aspecto de  “macarronada”(vide figura ao lado).Os prejuizos causado por estes parasitas são muito severos podendo causar a morte . Mas este assunto fica para um próximo artigo.

A prevenção e o controle dos parasitas dos animais  com medicação homeopatica se da de maneira diferente quando comparados aos tratamentos convencionais.

Há  uma vertente de estudiosos do assunto que postula que a medicação homeopatica  estimula o sistema imunologico do  animal a se defender dos parasitas, e há um segunda tese que defende  que o medicamento muda o magnetismo do animal de forma que este deixe de atrair , de ser interessante para o parasita e assim o parasita o abandona ou nem o ataca. Fato  é qu,  por uma via ou outra o controle é muito efetivo, e o que é mais interessante -  não induz resistência parasitária como temos visto com os parasiticidas convencionais que temos observado ter cada vez menos  efeito e nos induzindo a usar dosagens mais fortes provocando intoxicação.

Porém, condição “sine qua non” para que o controle homeopatico de parasitas seja efetivo é o bom manejo dos animais,neste caso, da tropa. Sabemos que quanto menor for o nível de “stress” ,seja este de qualquer origem  (nutricional/ ambiental, etc), melhor  os animais reponderão  ao estímulo que o remédio faz e melhor será o controle dos parasitas.

Além de não induzir resistência parasitária, o remédio homeopatico não deixa resíduos. Não se corre o risco de intoxicar o animal ou o homem que aplica a medicação (que aspira os vapores dos carrapaticidas , por exemplo). O meio ambiente também não sofre com resíduos toxicos, pois na medicação homeopatica eles inesistem. 

O que dizer então a aqueles que usam o esterco de animais que usam parasiticidas convencionais, para adubar a horta , um vaso de flor , uma plantação. Imaginar que o piquete  possa estar sendo enriquecido com a microbiota do esteco dos animais!?

Este esteco é morto e contaminado com a droga. Tem efeitos residuais, isto quer dizer , saem no esterco por vários dias, contaminam a terra e o vegetal que dela se nutre.

A homeopatia ainda é de fácil aplicação. Pode ser misturada ao sal mineral , a água ou na ração diariamente evitando aplicações injetáveis ou via oral, que por melhor conduzida que seja , induz “stress” no animal e exige pratica, paciencia e  cuidado do aplicador.

Assim , o controle homeopatico dos parasitas dos animais é efetivo, não é toxico para o animal, nem ao homem , nem ao meio ambiente e ainda é de menor custo que a medicação convencional.

Aqui faço um convite a aqueles que gostam de seus animais , de sua terra e que preocupam com a qualidade do alimento  que se vai  oferecer ao animal (e ao homem)- experimentem o tratamento homeopático .

É ECOLOGICAMENTE CORRETO E TÃO BARATO QUE NÃO COMPENSA NÃO EXPERIMENTAR.